Brasil é o país do surfe

O brasileiro Filipe Toledo vence o Oi Rio Pro 2019 em Saquarema

Me desculpe a tradição havaiana, as origens polinésias ou ainda o pioneirismo australiano, mas o Brasil é o país do surfe.

Nada, nem lugar algum, se compara à etapa que acaba de consagrar o brasileiro Filipe Toledo campeão, na verdadeira capital do surfe.

Barrinha (Thiago Diz / WSL via Getty Images)

A torcida lotou a faixa de areia em Saquarema. Aliás, que areia? Era tanta gente que não se via um só grão.

Eu fiquei doente, ainda estou me sentindo meio fraco e foi essa energia que me deu forças. Tem sido um ano difícil pra mim, por motivos pessoais.

Filipe Toledo

Ondas perfeitas e pesadas da Barrinha, o sol brilhante, o céu azul, a igreja de Nossa Senhora de Nazareth ao fundo e finalmente, o público.

Depois do brilhantismo na água, com performances de tirar o folego, tanto dos homens quanto das mulheres, a “plateia” foi o show a parte.

O público que, depois de Toledo, foi a “estrela” do evento. Foto Damien Poullenot/WSL via Getty Images.

Como agradar a Gregos e Troianos?

A Liga Mundial errou ao decidir tardiamente pelos tubos mágicos da Barrinha? Muito provável. A janela da etapa brasileira é menor? É. Existem etapas em locais mais seguros e “civilizados”? Certamente.

Porém, dificilmente, haverá outro lugar em que a emoção e a energia sejam tão contagiantes como no Brasil.

Kelly Slater felizão

Não tem preço ver o todo-poderoso feliz da vida.

Obrigado Saquarema / Brasil. Chegando aqui eu não sabia o que esperar, mas a alegria, o surf e a hospitalidade tem sido “outro nível”. Eu queria que houvesse outro de mim para que eu tivesse mais tempo com todos.

Kelly Slater

Finais

Filipe Toledo ganhou e ganhou bonito. Deixou o adversário, Jordy Smith, da África do Sul, na combinação. O que, trocando em miúdos, pode ser equiparada a uma bela goleada.

Aos gritos de “Filipe, Filipe” não há dúvidas de que após o fenômeno Medina, o Ubatubense radicado na Califórnia caiu de vez nas graças da massa e passando a ser adorado, literalmente, pela multidão.

Com a vitória, o brasileiro ocupa a terceira colocação do ranking mundial.

Entre as mulheres, uma final de peso. A experiência foi a bola da vez com Sally Fitzgibbons e Carissa Moore defendendo o título.

A vencedora da etapa em Saquarema, Sally Fitzgibbons. Foto: Damien Poullenot/WSL via Getty Images.

Oi Rio Pro 2019 tem o patrocínio da Oi, Corona, Jeep, Harley Davidson, Polo Blue, Red Bull, Subway, Havaianas e apoio da Prefeitura Municipal de Saquarema e do Governo do Estado do Rio de Janeiro pela Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude (SEELJE), por meio da Lei de Incentivo à Cultura e ao Esporte.

O evento da World Surf League também conta com o apoio institucional da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ), Associação de Surf de Saquarema (ASS) e foi transmitido ao vivo pelo Facebook, aplicativo e pelo site da Liga Mundial de surfe www.worldsurfleague.com

por Janaína

Filipe conectado aos tubos da Barrinha. Foto WSL / Poullenot.

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

1 Comment

  1. Parabéns pela matéria. Por mais espaço para o surfe na mídia brasileira.

    Poste um comentário

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *