Setembro amarelo: divulgadas fotos de Sunny Garcia após tentativa de suicídio

Em mês dedicado à conscientização em torno do tema, surgem as primeiras imagens do surfista. Após mais de quatro meses hospitalizado ele aparece quase irreconhecível

por Janaína

Mais magro, pálido, cabelos longos e olhar perdido. Sunny é alimentado por uma ex-companheira. As fotos foram compartilhadas no perfil @prayforsunny dedicado à recuperação do ex-atleta.

Em post mais recente de Kaila Garcia, ele pede desculpas pela divulgação da imagem do pai. Reprodução Instagram.

Relembre o caso

No dia 03 de maio, escrevi nesse blog sobre a confusão causada pela mídia especializada, que acabou decretando a morte de um dos maiores ícones do surfe havaiano da atualidade (ou seria de todos os tempos?).

Passado o susto, mal deu tempo de sentir qualquer alívio, afinal o estado de saúde do surfista era grave. Na verdade, até essa semana, pouco se sabia sobre sequelas e em quais condições vivia ou sobrevivia Vincent Sennen Garcia.

Quem foi Sunny Garcia

Sunny se tornou conhecido pelo talento no surfe, estilo forte e preciso, o famoso powersurf, mas também pelo temperamento agressivo e por protagonizar inúmeras tretas. 

O astro havaiano talvez tenha sido até hoje o “garoto propaganda” mais pop do movimento Da Hui, ou “black trunks” (em função das bermudas pretas usadas pelos integrantes). O grupo nasceu no final da década de 70, sob o pretexto de defender o território havaiano contra a invasão dos “haoles” (gíria que descreve os surfistas que não pertencem a determinado local).

Em outras palavras, havaianos estavam putos com a postura dos australianos e americanos, que ao “descobrirem” as ondas perfeitas do arquipélago proliferavam feito praga. Essa história é bem longa, mas existem bons documentários que falam sobre esse período, como esse a seguir.

Para se aprofundar na história de Sunny também recomendo “Sun of a Beach”. A entrevista de André Caramuru Aubert a um dos maiores nomes do surfe mundial e publicada na Trip é no mínimo um presente.

Mas, de volta a maio deste ano, a comoção tomou conta da internet e em minutos a notícia de que Sunny estava morto se espalhou. Horas mais tarde, o erro havia sido corrigido, porém a verdade é que talvez aquele Sunny, que estávamos acostumados a ver, tenha mesmo morrido.

A vida é um sopro

A vida é um sopro. Toda vez que alguém morre ou alguma tragédia muda o curso da história, me pego pensando nisso. Nessa vida que já perdi minha mãe e minha melhor amiga. Senti na pele, no corpo e na alma a ferida da ausência. Na verdade, sinto até hoje.

Esses dias mesmo foi assim e quando consigo identificar que a inquietação que eu sinto é saudade, corro pro mar. 

Foi segunda-feira e mesmo assim decidi surfar sem culpa, sem pensar em textos atrasados, posts no Instagram, audiência desse blog, nem nada. Ainda me dou o direito de curar meu luto ou mesmo tristezas levianas, insatisfações corriqueiras, oscilações hormonais, seja lá o que for, curo no mar.

Então, fui surfar de manhã e depois à tarde. Surfei até meu limite físico, até os braços não suportarem, e por volta das 17h, assumi que já não tinha mais forças, estava morta de cansaço.

As “dores” do surfe

Mal saí do banho já sentia dores musculares. Hoje, aos 36, sinto as dores do surfe de maneira mais intensa. Pescoço, cervical, ombros, coxa. Aliás, muitas vezes tenho apelado para um remédinho. Tento primeiro o alongamento, a liberação miofascial, e se os sintomas persistirem é na droga meu alívio. Santo dorflex.

E de tão cansada e tristonha com os rumos do país, não conseguia dormir. Já sentiu isso? O corpo exaurido e a mente a mil, que pesadelo! Os textos atrasados me assombravam, mulheres machistas e moribundas rondavam meus pensamentos, a máfia do surfe, os cartolas, os dinossauros federativos, essa droga desse governo autoritário… ahhh, eu que só queria dormir depois de um dia inteiro de surfe.

Apaguei. E só fui abrir o olho às cinco da manhã. Ainda estava escuro. Cerrei os olhos como quem falece e implorei para que não fosse 3 da manhã; dizem que acordar as três da manhã é problema. Não eram três, ufa. Nem bem clareou e eu fiz a besteira de abrir o Whatsapp. 

Já disse que esse APP é coisa do demônio? Falo isso brincando, já que não acredito em Satanás, mas na maldade humana pura e simples. Enfim, esse aplicativo dos infernos me mostrava a foto de Sunny Garcia, sendo alimentado por duas mulheres. Levei algum tempo olhando aquela foto até entender que aquele homem prostrado, em algo que se parecia a uma cadeira de rodas, era Sunny Garcia. Por isso eu já vou indo pro mar surfar umas ondas de gratidão. Afinal, cada dia é um presente! 

A vida é mesmo um sopro.

bjs e boas ondas

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

18 Comentários

  1. De início a menina ameaça contar o que, parece, será uma história interessante.
    Após alguns breves e mal redigidos parágrafos nos damos conta que em seguida ao lançamento da isca, fisgou nossa atenção para contar um pouco de sua vidinha e seus perrengues de uma adolescência temporã que nos priva de sabermos mais sobre a sorte do personagem que, diga-se en passant, é um dos mais ricos da moderna história do surf.
    Haja umbigo
    Parabéns

    Poste um comentário
    • hahaha obrigada José Eduardo de Mello Amorozo I love haters

      Poste um comentário
      • Meu, sugerir que o Sunny foi o maior surfista havaiano de todos os tempos foi uma ofensa a quem vive o surf. Já ouviu falar de Eddie Aikau, Magda??

        Poste um comentário
    • que texto confuso; perdi meu tempo.

      Poste um comentário
  2. Porra! Tudo indicava que você falaria sobre o caso da tentativa de suicídio do surfista. Kkkk! Só rindo!

    Poste um comentário
  3. Olá,

    Acho que vc queria dizer “prostrado” e não “procrastinado”, certo? E o Sunny Garcia? E a conscientização em torno do tema suicídio? Reflita.

    Abs,

    Poste um comentário
  4. Texto ruim hein? Melhor surfar mesmo. Comçou bem, achei que ia focar no Sunny, daí passou a falar do proprio umbigo. Afinal. Ele tentou se matar, estamos no mês de prevencao ao suicidio e vc nada falou sobre isso. É isso: vá surfar

    Poste um comentário
  5. Enfim um texto com personalidade e profundidade. Pessoal queria que falasse mais de suicídio e de Sunny. Você estava falando da nossa relação com a dor e com o mar. Quem procura só notícias, informes, texto especializado, não entendeu a importância desse texto. Parabéns, não está fácil ler textos como esses, curto mas preciso.

    Poste um comentário
  6. A vida é um sopro… Sunny casca grossa, campeão mundial, herói no paraíso do Hawaii, fica a reflexão

    Poste um comentário
    • um sopro curto, o jeito é aproveitar cada momento e valorizar o que faz sentido realmente, como nossas relações com quem amamos, hábitos saudáveis que nos preencham e até trabalhar com o que nos motiva eu diria 🙂 obrigada pela mensagem! bjs

      Poste um comentário
  7. Janaína, quando fizer referência a um assunto é importante não deixar o leitor com a sensação de que perdeu algo e ter que buscar essa informação em outras fontes.
    E…procrastinado?

    Poste um comentário
  8. Também interessante ver, pelo lado oposto, o exercício cotidiano de alguns de destilar rancor. O problema não é a crítica, essa deve ser bem vinda, mas o hater, o cara que busca para onde direcionar seu ódio do dia. Como transformar beleza (o texto) em feiúra (nos comentários), essa é a especialidade do hater.

    Poste um comentário
  9. Não vi nenum hater aqui, acho que vcs snowfalkes estão com a sensibilidade muito a flor da pele.
    Li algumas críticas pertinentes e só.
    A autora, em vez de cair na real e reconhecer seus erros (uma consulta ao dicionário para procurar o significado de “procrastinado” por exemplo) e falta de foco no assunto anunciado, prefere desqualificar o crítico. Bem típico
    Um pouco de humildade faz bem

    Poste um comentário
  10. não me refiro a todos os comentários, na verdade só a alguns, que no fundo são haters disfarçados de crítica, a começar a chamar a autora de menina. e sim, procrastinado, precisa corrigir!

    Poste um comentário
  11. Haters disfarçados de críticos… o cara tem um sensor. Em tempo: chamar de menina também é incorreto?

    Poste um comentário
  12. Mas que texto fraco! Que visão pobre! Sentimento de vergonha alheia. Perda de tempo e sentimento de ofensa ao meu ídolo , sua família e todos que dedicam suas preces e pensamentos pela recuperacao dele. Nunca subestime um campeão, quem é rei não perde a majestade.
    👑👑👑👑👑👑

    Poste um comentário
  13. Gente, cada um querendo estender a discussão para seu lado. Deixemos a amiga desfiar seus pensamentos e sentimentos e bola p’ra frente. Quem gostou, legal. Quem não gostou, bora buscar um momento mais profundo para se informar. Abraços.

    Poste um comentário

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *