Com Anitta, Gabriel Medina lança documentário

Gabriel Medina reuniu ontem (29), em São Paulo amigos, familiares e jornalistas para o lançamento do documentário que leva seu nome. A obra, dirigida por Henrique Daniel com roteiro de Lucas Paraizo, conta a vida do astro esportivo. O encontro teve a presença de Anitta, Thiaguinho, Rubens Barrichello, Matheus Herdy, Miguel Pupo, entre outros.

por Janaína Pedroso

O documentário, exclusivo da Globo Play, foi co-produzido em parceria com Canal OFF e HD Filmes e reúne imagens inéditas de Gabriel. A estreia ocorre amanhã (31).

Com cenas da infância, em Maresias, em VHS e imagens mais recentes em altíssima definição, a história da vida do surfista é retratada a partir de diversos depoimentos.

“Eu tenho que tirar o chapéu pra esses dois aqui (diretor e roteirista) porque tinha muita imagem e eles conseguiram encontrar um jeito, um caminho de contar essa história”, disse Medina.

“Estou muito ansioso, é uma noite muito especial, reunir família, amigos, pessoas que estavam presentes nos principais momentos da vida. Todo mundo conhece o Gabriel Medina de hoje, mas pouca gente sabe sobre o caminho que eu percorri pra chegar até aqui”, falou Gabriel em coletiva de imprensa.

“Está parecendo dia de final de mundial, não consegui nem almoçar direito e o dia chegou através de trabalho. Dedicação e um sonho.”

Medina, durante coletiva
Gabriel dá entrevista em noite de pré-estreia na capital paulista. Foto Filipe Burjato.

Sobre mais projetos relacionados ao audiovisual, Gabriel deixou pistas de que há sim possibilidade para outras obras. “Esse foi um grande projeto, e depois de um ano conseguimos concluir e o próximo passo é pensar em algo maior, com certeza virão muitas ideias, estou com 26 anos, tenho bastante tempo de carreira, com certeza deve aparecer algo, e por que não uma ficção?”

De acordo com o bicampeão, o documentário “Gabriel Medina” é um sonho, mas ainda há outros. Quando perguntado sobre o presente, qual o sonho do momento, o surfista é enfático: “ser tricampeão mundial, com certeza!”.

Um roteirista da ficção

Lucas Paraizo, roteirista do filme, aceitou o convite para escrever o roteiro do documentário com certa surpresa. Afinal, vindo do universo da ficção e apesar de carioca, ele passa longe do surfe. “Achei estranhíssimo, não sou um cara ligado no surfe”.

Lucas, roteirista da série de grande sucesso na TV Globo, ‘Sob Pressão’, contou que além de trabalhoso (o roteiro teve cerca de 80 páginas) foi um tanto desafiador, no sentido de decifrar a linguagem do surfe. “A família foi muito paciente comigo, eu fazia perguntas toscas, do tipo: o que é goofy (expressão referente ao posicionamento do surfista na prancha)?”, conta Paraizo.

Autor de alguns roteiros para documentário, como “Divinas Divas” de Leandra Leal”, e diversos longas-metragens, ele conta que independente do estilo é necessário um bom personagem.

“Gabriel Medina não é um filme de surfe, apenas. É um filme que fala de surfe, mas transcende. Fala de um menino brasileiro, com seus traumas, perdas e abandonos, mas com suas alegrias, união com a família, e sonhos. É um filme de superação”, finaliza.D

Diretor habituado

Henrique Daniel acompanha Gabriel Medina já há bom tempo. É ele quem dirige a série exibida pelo canal Off “Mundo Medina”, entre outras produções.

Apesar da proximidade, Daniel lembra que esta obra trata de algo inédito, e portanto, com registros nunca antes exibidos.

“Temos muito mais que sete anos de captação, houve uma pesquisa extensa pra ter acesso a registros dele ainda pequeno, acredito que esse seja o grande diferencial do projeto”. Explica Daniel.

“Gabriel Medina”: Minha visão sincera

Nunca gostei do papel de crítica, aliás depois da criação deste blog, passei a ter ainda mais cuidado com emissões de opiniões, verdades absolutas e comentários certeiros.

Porém, a você, leitor e leitora, devo um olhar, uma opinião sincera sobre o que eu, surfista e blogueira Janaína senti ao assistir “Gabriel Medina”. Então, vamos lá!

Pontos altos:

O documentário é revelador, emocionante e provocativo. A medida que mostra Gabriel Medina, ainda menino em Maresias, abandonado pelo pai biológico, o garoto se transforma em uma espécie de fiel escudeiro da mãe, Simone, acompanhando-a até em faxinas.

O roteiro é absolutamente matador. Foi bastante certeira a escolha por Lucas.

Outro aspecto muito positivo são os depoimentos, especialmente de Kelly Slater, que com absoluta clareza e inteligência é capaz de sintetizar em poucas palavras o que difere um surfista talentoso de um múltiplo campeão mundial.

Pontos baixos:

Erros de legenda, tanto de ortografia quando digitação. Ao logo do filme observei uns quatro erros. Episódios importantes ocorridos no ano passado ficaram de fora, como a bateria polêmica de Portugal contra Caio Ibelli.

A obra tem vida curta, à medida que este ano, com a disputa de mais um título mundial, o documentário ficará logo desatualizado. Algo que, neste caso, é inevitável, já que Gabriel está em plena forma e ao que parece, em busca de mais alguns títulos mundiais.

Confira os cliques da noite, por Filipe Burjato

Mateus Herdy curtindo uma pipoca antes da sessao.
Família reunida.
A cantora foi prestigiar a estreia.
Entre amigos.
Miguel Pupo, amigo de longa data.

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

2 Comentários

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *