Baleia jubarte surge em meio ao festival ‘Master of the Ocean’

O terceiro dia do ‘Master of the Ocean 2020’, na República Dominicana, começou cedo, por volta das 8h. Inicialmente, foram três rodadas de altíssimo nível no SUP, com ondas de até 7 pés, e boa formação.

por Janaína Pedroso

Uma enorme baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) apareceu na primeira bateria do dia e abrilhantou a performance dos atletas. O animal deu um show à parte!

De janeiro a março, a Baía de Samaná (cerca de 180 km de Cabarete), recebe até dois mil indivíduos da espécie, que se acasalam e se reproduzem nas águas mornas do país. Por isso, é possível avistar jubartes em toda costa norte, durante este período.

Há inclusive um local específico para observação, o Observatório da Baleia, em Punta Balandra, onde também é possível avistar os animais em um passeio de barco.

Ou ainda, para os mais sortudos, vê-las da praia, em meio a um campeonato!

Jubarte rouba a cena! Foto: Sebastiano Massimino

SUP

Zane Schweitzer do Havaí, Anthony Collar da Espanha, e o local Luciano Gonzalez destacaram-se nas respectivas baterias, com performances sólidas e muito estilo.

Além disso, Zane soltou nada mais nada menos que um 360º, levando os espectadores, que assistiam na areia, ao delírio.

Em seguida, houve o confronto entre Anthony Collar, Christopher Buenger e Maarja Kivistik, (única mulher competidora do evento), no placar final Collar se deu melhor, seguido Buenger e Maarja.

Kite

O vento intensificou durante a tarde e o cenário ficou paradisíaco, com belíssimo pôr do sol! Porém, a direção do swell pareceu não ter favorecido os competidores na modalidade de kite.

Apesar da ausência de condições ideais, o show foi belíssimo, com atletas superando as adversidades.

Aliás, uma briga boa ocorreu entre Zane e Brian Talma, de Barbados, ambos com ótimas performances e manobras progressivas.

Igualmente, Sammy Perez Hults colocou muita pressão e correu atrás de pontuação durante toda a sua bateria. 

Avançaram para a semifinal do kite Diego Anta (Espanha), Samuel Perez Hults (República Dominicana), Brian Talma (Barbados) Francis e Luciano Gonzalez (República Dominicana).

Wind

Já no windsurf, os ventos não favorecem tanto, pois estavam fracos para a modalidade, que exige rajadas mais fortes. As ondas também estavam fechando demais, o que dificultou ainda mais a performance dos atletas.

Zane Schweitzer, nascido em uma família havaiana que inventou o windsurf moderno, Samuel Perez Hults, esperança olímpica Dominicana em 2020, e a lenda Brian Talma saíram na frente.

Outro momento marcante do dia foi a virada do espanhol Anthony Collar, de 3º na primeira bateria, 2º na disputa seguinte, e finalmente fazendo semifinal contra Zane Schweitzer, Samuel Perez Hults, Brian Talma e Christopher Buenger.

A grande ‘waterwoman’ do evento, Maarja Kivistik, da Estônia, abrilhantou a competição! Embora as condições não estivessem perfeitas, Maarja mostrou admirável desempenho.

Posteriormente, durante a tarde, devido aos ventos fracos a organização do evento decidiu paralisar a competição.

Mas amanhã tem mais ‘Master of the Ocean’! E claro, o blog vai estar por lá!

Fotos: Foto: Sebastiano Massimino e Ramon Perez.

Janaína está na República Dominicana a convite do Escritório de Turismo do país.

Agradecimento especial ao hotel Viva Wyndham Tangerine!

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *