Surfe nas Olimpíadas: Tokyo 2020?

Nesta segunda, a ISA (Associação de Surfe Internacional) divulgou nota oficial de agradecimento ao COI, Comitê Olímpico Internacional, por defender a inclusão do surfe no programa de modalidades, durante as Olimpíadas do Japão. Segundo a ISA, nunca estivemos tão perto de ver o surfe como esporte olímpico. Por enquanto, são conversas, intenções e a certeza de que está cada vez mais próximo ver nossos atletas brigando por medalhas na disputa entre nações. A decisão final será manifestada pelo Comitê, durante os jogos do Rio, em agosto.

“Esse é um momento maravilhoso para o nosso esporte, e para a família do surfe global. Nossa relação com o COI e a inclusão nos Jogos Olímpicos, tem sido prioridade estratégica para a ISA durante anos”, declarou Fernando Aguerre, presidente da ISA. Aguerre ainda garantiu que as notícias recentes renovam as energias na batalha para dar ao surfe o título de esporte olímpico. “Estamos conscientes de que o trabalho duro não para por aqui”.

Há dois anos, em abril de 2013 o surfista Rico de Souza esteve à frente do projeto “Surf 2016”, que pretendia incluir a modalidade esportiva nos jogos do Rio. Houve até uma reunião com o então Ministro dos Esportes Aldo Rebelo, que na época foi presenteado por representantes do projeto com uma prancha. Segundo a revista Veja, Gabriel Medina estaria encarregado de levar diversas pessoas para encontrar com Rebelo em Brasília.

Mas para o Rio restou somente o gostinho de carregar a tocha. Gabriel e Carlos Burle foram os surfistas que tiveram a chance de caminhar com a pira. Burle foi além, e ainda surfou com a tocha, veja o vídeo.

Imagens: Felipe Queiroz