Quanto vale o show?

Snaper Rocks, Austrália. Foto: Swilly/Surfer

Quem surfa já presenciou uma discussão e sabe que o lifestyle “de bôa” não rola assim com tanta frequência no outside. As brigas por ondas acontecem direto e atire a primeira pedra quem nunca presenciou ou se meteu numa situação dessas. Em alguns picos, como o Havaí, já rolaram as brigas mais midiáticas do planeta. Dois caras se pegando na porrada de bermuda de surf na beira da praia. Cena que pode parecer de filme, mas é pura realidade.

Não é preciso ir tão longe nem ao extremo da situação. Muitas vezes uma mesma onda é disputada por dois ou mais surfistas. O tal do salve se quem puder. Ou ainda, no caso das mulheres, por duvidar-se da capacidade de surfar. “Achei que você não fosse”. “Beleza cara, mal ai. Eu ia.”

A regra é clara. É dada a prioridade para quem está mais dentro da onda. Tá, ok. Mas o que fazer com o famoso rema-rema? Aquele surfista que acha que tudo bem remar em todas as ondas.  Só ele surfa e o resto bóia?! Amigo: se você acabou de pegar uma onda, respira aí. Fica de boa, que logo mais vem uma onda pra você, e assim todo mundo consegue se divertir.

A rabeada do Gabriel foi motivo pra gerar buzz na rede. O atleta até se manifestou pelo insta se explicando. Como se precisasse se explicar de um erro que não cometeu.Os comentaristas da WSL sugeriram que Medina tem muita “sede” de onda, o famoso fominha. Mas, e Jordy? Pelo que parece ele tinha acabado de voltar de uma remada mal sucedida e estava embaixo do Gabriel, e aí não tem questionamento certo? O sul africano ainda gesticulou depois de chutar a prancha em direção ao brasileiro.

Está faltando gentileza entre os humanos, entre nós surfistas. Esses dias estava na água e ouvi uma discussão, em seguida uma garota disse: cadê o espírito yogui? Ou algo do tipo. Olha, o espírito yogui eu não sei viu, mas bem que podia haver mais espírito esportivo, e bom senso no outside. Gentileza é de graça gente, não paga não!

Este slideshow necessita de JavaScript.