MEDINA anuncia novo patrocínio!

Crédito: Divulgação

Audi fecha contrato de um ano com o campeão mundial de surf

O surfista de 23 anos Gabriel Medina esteve com jornalistas na manhã desta quinta-feira no Lounge da Audi, em São Paulo. O clima de sofisticação que envolve a marca foi quebrado com toda a simplicidade e carisma do atleta, que respondeu às perguntas sobre carreira e até sobre o recente término do namoro.

Gabriel e a Audi

“Tô realizando um sonho de criança, sempre sonhei em ter um Audi e hoje sou patrocinado pela marca.” O presente veio em dobro, já que Gabriel pôde escolher dois modelos incríveis. “Eu escolhi um Audi TT e um Q7. Eu uso mais o TT. Não sei se é porque acabei de entrar na Audi, mas dá muita vontade de ficar dirigindo o carro o tempo todo (risos)!”. Sobre o modelo mais espaçoso Gabriel completa: “O Q7 é demais, cabe toda a família, amigos, pranchas, o quiver todo. Sem falar que antes eu me matava manobrando. Agora com duas viradas no volante consigo estacionar o carro”.

Herlander Zola, diretor de marketing da Audi, fala da sinergia entre marca e atleta. “Existe muita conexão entre a Audi e o Gabriel. A ousadia, o fazer diferente, buscar inovações o tempo inteiro são coisas presentes tanto na atividade do Gabriel quanto na da Audi”.

Gabriel e Zola. Divulgação
Gabriel e Zola. Divulgação

Planos para 2017

Medina está focado e tem apenas um objetivo: Bicampeonato. Para isso, ele afirma que vai aproveitar o último mês de férias, para então, se dedicar integralmente ao Tour. “Assim que terminar minhas férias pretendo viajar pra um lugar que tenha uma onda parecida com a que vou competir em março, quando acontece a primeira etapa do mundial.”

“Fevereiro é treinamento forte para me preparar para esse começo de ano. A perna australiana é uma etapa muito importante e nos últimos anos tenho dado uma falhada.  Então, acredito que se eu conseguir começar o ano bem, depois o resto do ano as coisas vão dando certo. Preciso corrigir meus erros e ir pra cima”.

Namoro ou Amizade?

Quando perguntado sobre como anda a vida amorosa, o campeão é direto e reto: “Estou solteiro. Demos um tempo, mas estou feliz”. A declaração provocou surpresa, já que o fim do relacionamento com Tayná Hanada esfriou de vez recentemente, e até então, nada havia sido divulgado sobre o final do romance.

O campeão posa no modelo conversível da montadora Alemã. Divulgação

Instituto Gabriel Medina

O Instituto Gabriel Medina, que tem sua mãe Simone como presidente da entidade, vai atender crianças e adolescentes, promovendo a inclusão social por meio do esporte, com um cronograma repleto de atividades – que vão desde práticas esportivas até cuidados com a sáude. “O Instituto inaugura dia 31, terça-feira, e vou tentar estar presente o máximo que der. O Instituto, na verdade, veio da falta de oportunidade que existe no Brasil. Com ele a gente consegue ajudar pelo menos um pouco. Eu sonho ver um moleque de lá ser campeão mundial e estar onde eu estou agora”.

Erros no Percurso

Sobre os erros cometidos nos útimos anos Gabriel reconhece que nem tudo depende dele. “É dificil, muita vezes não é minha culpa. Dependemos da natureza e de outras coisas, mas sempre converso muito com a minha família e eles que me acalmam”. Quando perguntado sobre como faz para corrigir as falhas ele brinca: “Daí é com meu pai, daqui a pouco ele pega o chicote e começa (risos)”.

Gabriel no free surf. Foto WSL/Kelly Cestari
Gabriel no free surf. Foto WSL/Kelly Cestari

Rivais do Tour

Com diversos surfistas excelentes, Gabriel destaca três nomes que podem ser a “pedra no sapato” em 2017. “Todos são grandes competidores, mas acho que Mick Fanning vai dar o máximo porque esse talvez seja seu último ano competindo. John John porque vem de um título mundial e Filipinho (Filipe Toledo). Esses três caras são os mais chatos do tour”.

Filipe durante última etapa de 2016. Foto WSL
Filipe durante última etapa de 2016. Foto WSL

Carreira de Modelo

Recentemente, Gabriel anunciou que faria trabalhos como modelo. Mas, parece que o mar não está pra peixe nessa área. “Tá fraca a carreira de modelo (risos)”. Sobre a possibilidade de investir na carreira de ator, o surfista é enfático: “Ator? Olha minha timidez!?! Já está difícil ficar sentado aqui, imagina atuar! Não, não”. A resposta arranca gargalhadas dos jornalistas presentes.

Combinou en! Crédito: Divulgação
Combinou en! Crédito: Divulgação

Compromissos

As obrigações de Gabriel enquanto atleta da marca devem ser intensas. “Certamente vamos desenvolver muito conteúdo e campanhas com o Gabriel e atividades que vão acontecer ao longo do ano. Já existe um desenho claro de algumas campanhas que vão envolver alguns dos nossos lançamentos e outras atividades previstas para 2017. Mas, sempre respeitando o calendário do Gabriel que não é facil. Ele passa a maior parte do tempo fora do país”. diz Zola.

Com grande expectativa, o executivo acredita em bons frutos para a marca. “Temos absoluta certeza, que a visilibidade que vamos gerar pra marca e a conexão, principalmente, que vamos gerar entre os nossos valores e tudo aquilo que o Gabriel representa é algo que vai ser muito produtivo e satisfatório”.   Sobre o tempo de contrato o executivo adianta que a intenção é ir além dos dozes meses previstos.  “Basicamente, temos um contrato de um ano. Mas, ele deve se repetir e a gente pretende que seja uma parceria muito duradoura e longa”.

Circuito Brasileiro

Apesar do belo momento do Brasil no cenário mundial, a realidade das competições brasileiras é praticamente oposta: crise total. Quando perguntado sobre a possibilidade de criar ou incetivar um circuito nacional, Gabriel confessa um desejo. “Tenho o sonho de poder voltar a competir no Brasil. Na verdade, eu cresci assintindo a todos esses campeonatos que hoje não existem mais, como o Super Surf, Circuito Brasileiro, enfim, me inspirava muito nesses eventos. Aqui no Brasil não existe oportunidade para os surfistas competirem e é muito dificil porque a gente acaba dependendo deles e tem que andar como a banda toca. Mas, espero um dia voltar a ver um circuito brasileiro forte”.