Dias após a inauguração do Instituto Gabriel Medina o que se ouve é: Surf com Pagode?

Gabriel cumprimenta integrante da banda de Thiaguinho. Foto Aleko Stergiou

Gabriel Medina comemora a abertura do Instituto com shows de Thiaguinho e da dupla sertaneja Bruninho&Davi – e a internet não perdoa!

Ele já foi notícia por aqui essa semana e será novamente. Dessa vez, a pauta foi a inauguração do seu Instituto que vai atender cerca de 40 crianças e adolescentes oferecendo treinamento físico, acompanhamento psicológico, idiomas, atendimento médico e odontológico. Dando a chance de garotos e garotas que antes não contavam com grandes perspectivas se tornarem, quem sabe campeões (ãs) mundiais.

O que ninguém esperava era que o pagode e o sertanejo virassem o centro das atenções, diante da repercussão das apresentação de Thiaguinho, amigo de Gabriel, e da dupla sertaneja Bruninho&Davi. Teve Gabriel, O Pensador, mas desse ninguém reclamou. No Facebook explodem críticas ao gosto musical do atleta que nem pipoca na panela, mas elogiar o cara que é bom nada. Engraçado (#sqn).

“Acabou quando o surfista brasileiro perdeu a raiz… (sic) Acabou quando, infelizmente, popularizou ao extremo…(sic) entraram os piores ritmos e personagens… Pagode? Sertanejo? Sério??? Ninguém do que resta de mídia especializada vai falar nada??? Pergunta um mais exaltado. Nos comentários ao post muitos “Vdd’s”, alguns “Triste”. Um diz “Essa nova geração que chegou metendo o perna na porta (sic) , que colocou o ” surf competição brasileiro” no seu devido lugar”. Oi?

Essa aversão ao novo e ao diferente dá a sensação de que primeiro, o sujeito tá vendo que o futuro do surf brasileiro tem tudo pra ser brilhante e nessa onda ele não tá mais remando. Segundo, nem surfando direito talvez esteja, já ficou rabugento e não atura mais o crowd. “Porque na minha época era diferente”. Terceiro, o sucesso incomoda. Quarto, “tudo que eu gosto é bom o que eu não gosto é uma merda”.

Que preconceito tosco misturar gosto musical com falta de identidade. Nem todo surfista de alma precisa curtir Pennywise, isso sim seria a morte. O surf é plural, o surf é coletivo também, o surf é das meninas, da gordinha, da sarada, do tiozinho, da família inteira.

Surfista pode ouvir o que quiser contanto que respeite o próximo, não polua praias e oceanos e no caso do Gabriel, seja um campeão mundial.

Vida longa ao surf!!

Crédito do vídeo Rodrigo Cruz