Surf da China: Evento QS 3000 é realizado em ondas minúsculas

Haja joelho! Boa forma de Samuel Pupo no QS 3000 da China. Foto WSL.

Com estreia no QS, o aberto internacional de Hainan patrocinado pela Jeep, pode entrar para a história do esporte como o campeonato com as menores ondas do circuito.

Localizada no extremo sul do continente chinês, Hainan – que já foi alvo de diversas disputas territoriais no passado –, é a menor província Chinesa, com pouco mais de 9 milhões de habitantes.

Com belas paisagens, praias de águas cristalinas e ondas extensas, Hainan se tornou um dos principais destinos de surf da China.

“É incrível ver o crescimento e a popularização do surfe na China. Nós desejamos muita sorte aos competidores”, disse porta-voz chinês Mr. Li, em release divulgado há alguns meses pela World Surf League (WSL).

Sorte, porém, foi o que faltou para que Hainan mostrasse seu potencial.

Com ondas muito pequenas e vento maral, a etapa pode entrar para a história como a etapa do QS mais miada de ondas da história!

Entre os brasileiros que mais se destacaram três paulistas: Yuri Gonçalves eliminado no round 3; Marcos Correa, que chegou até as semis e Samuel Pupo, que fez final e acabou em 4º.

“A China tem sido muito legal, especialmente com esse resultado. Eu realmente amo esse lugar, mesmo nestas condições realmente difíceis”, comemorou Pupo.

Samuel Pupo tirando leite de pedra. Foto WSL.

No melhor estilo “quem não tem cão caça com gato”, Samuel fez milagre. É preciso reconhecer e parabenizar todos os atletas que participaram do evento.

Afinal de contas… “Devemos ser capazes de surfar em todas as condições”, finaliza Samuel.

Marquinhos fazendo milagre em Hainan. Foto WSL.

Quem se deu melhor mesmo foi o franceboy Charly Martin, que derrotou além de Pupo, o garoto prodígio da Indonésia Rio Waida e o americano  Kei Kobayashi.

Por enquanto, o Havaí é palco para o QS Hawaii Pro 10.000. E logo mais, fechando o circuito de 2017 da divisão de acesso, a esperada etapa de Sunset Beach.