Suicídio de Jean levanta uma questão: onde está a essência do surf?

O texto sobre a tragédia envolvendo Jean Da Silva atingiu internautas de diversos países. Fomos parar em computadores e smartphones de lugares onde nunca havíamos estado, desde a criação do blog, há pouco mais de ano.

Reino Unido, Espanha, Nova Zelândia, Itália, Cingapura, Indonésia, Alemanha, França, Canadá, Japão, Costa Rica, China, Irlanda, Honk-Kong, Noruega, Ilhas Cook, Dinamarca, Países Baixos Caribenhos, Polinésia Francesa, Burquina Faso (nem sabia da existência deste país), Grécia, Sri Lanka, África do Sul, Líbano, Finlândia e Suécia.

O significante alcance trouxe à tona reflexões e mais perguntas.

E se Jean tivesse sofrido um acidente de carro, ou estivesse entre as vítimas de um ataque terrorista? Alguma coisa mudaria? Teríamos tido tantos acessos? Acredito que não.

O suicídio é um tabu, assunto abominado por séculos pela esmagadora maioria das religiões ao redor do planeta. O que torna o suicida um ser quase invisível,  e um pecador, claro.

Com a tragédia, o ardiloso tema entrou galopante e sem pedir licença nas casas de famílias, invadiu jantares e rodas de amigos. Abalou a comunidade do surf, que se questionou.

Ouvi e li frases como, “Deve ter brigado com a namorada.” “Tinha uma dívida com um traficante?” “Devia ser depressivo” “Será que alguém não matou ele, não?” “Ele queria ter ido para o Havaí competir!”

Em um grupo de WhatsAPP, alguém comentou “Tá estranha esta história”. Estranha? O que tinha de estranho? “No surf nunca tinha ouvido falar, afinal o surf afasta a depressão”, completou a integrante do grupo.

O surf pode sim ajudar a combater um possível quadro de depressão, assim como o futebol, o vôlei ou qualquer outra atividade física.

Mas o surf, esse surf excludente atual, machista, misógino e preconceituoso, essa patotinha composta por surfistas incríveis, saudáveis, sarados e felizes da TV (#sqn), pode levar muita gente bacana pro buraco.

Vai ver se o surf afasta a depressão do surfista gordo, ou da menina feia e lésbica sem patrocínio, ou do atleta que fala errado porque não teve acesso à educação de qualidade, ou ainda porque é preto ou tem o “cabelo ruim”.

Jean não era pobre, nem preto, nem ignorante. Muito pelo contrário. Era de uma família tradicional de Joinville, sul do País. Teve acesso aos melhores colégios, era “branco”.

Seu suicídio levanta questões sobre este mundo de fakenews e fakelifes em que vivemos. Num mundo onde “Quantos seguidores você tem?” É o novo, “E aí, beleza?”

Na TV, vendem mais fantasia. “Venha Para O Incrível Mundo de Medina”. O mundo ideal, do surfista ideal, do mais forte, do mais desafiador, do mais persistente, do supersurfista.

E daí, vem o Jean Da Silva e se mata pra te lembrar o quanto o mundo tá doente. E quanto o mercado do surf tá doente e cada vez mais longe de sua real essência.

Natureza, liberdade, humildade, calma, aceitação, paz, prazer, respiração, energia, contemplação. Isso é surf. O resto é criação de uma sociedade doente.

Nota da autora: procuro na internet uma imagem, uma foto para ilustrar esse post. Dou um Google, mais alguns cliques e chego num vídeo do atleta publicado há cinco anos. O título do vídeo? “A essência do surf”.

 

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

104 Comentários

  1. Bem difícil dizer algo sem conhcer ele, o vídeo é de 5 anos atras, nesse tempo para cá o que será que aconteceu na vida dele?

    Poste um comentário
  2. Parabéns pelo belo texto, acho que tu disse tudo que sempre me questionei nos dias de hoje. cadê o surf? a simplicidade, a humildade, a vida, o respeito a natureza, o amor, a calma, a paz. com certeza isso desapareceu, infelizmente. hoje vivemos em um mundo doente e que nem o surf, aquele estilo de vida de paz conseguiu escapar.
    Sou surfista do tempo que o surf era surf, passei pela depressão dos dias de hoje, venci mas vigio ainda todo tempo mesmo pegando onda todos os dias onde vivi, não puder escapar deste mal, espero que essa essência ainda volte.
    pela paz, pelo bem, pelo surf!
    Esteja em paz Jean, sei que lutou e doeu demais
    R.I.P.

    Poste um comentário
    • João, muito obrigada pela mensagem. O mundo está ao contrário..já disse Nando Reis.
      Paz pra ele, onde quer que esteja, e pra nós que precisamos de muita força pra enfrentar tantas injustiças e sofrimentos. Vamos em frente!! Firmes e fortes!!

      Poste um comentário
    • Muito obrigada pela mensagem João!! Se tem algo de bom que essa tragédia serviu, certamente é trazer a tona questões importantes que devemos sim falar, como a depressão e o suicídio. Além é claro desta bolha de superficialidade que o surf “vende”.

      Poste um comentário
  3. Descanse em paz!! Ainda está difícil de acreditar…

    Poste um comentário
  4. RELIGIÃO ESPIRITA , É A ÚNICA QUE ESTUDA OTEMA A FUNDO. SÓ PROCURAR.

    Poste um comentário
    • A caminhos que ao homem parace direito mas no fim eles sao caminhos de morte

      Poste um comentário
  5. Bom , primeiramente boa noite !!!
    Não cabe a nós julgar os fatos…
    Uma morte natural seria mais fácil aceitar do que um suicídio , principalmente para quem conhecia o Jean, uma pessoa de energia contagiante e de humildade extrema , um sorriso eterno em seu rosto isso foi o que ele me transmitiu pelo pouco contato que eu tive com ele.
    O post está relacionando o surf com suicídio , como se quem surfa não deve ter problemas, como se quem surfa é eternamente feliz, como se que o surfe fosse tudo nas nossas vidas e de certa forma é, mas estão esquecendo de ver nossa prioridade que é Jesus antes de tudo, eu não sei se essa pessoa que escreveu isso realmente é um surfista de alma mas acredito que as palavras vieram num momento errado #respeito

    Poste um comentário
  6. Excelente ótica…

    Parabéns!

    O que falta para a grande maioria entender é que l suicida não quer acabar com a vida, seja ela “perfeita” ou cheia de problemas. O suicida encontra nesta atitude a única forma de acabar com uma dor que o consome há muito tempo, muitas vezes mascarada por momentos de pseudo alegria, mas por dentro sendo corroído por uma das mais traiçoeiras doenças, a depressão.

    #Tamojuntosempre e que o criador ilumine o caminho desse brother que sucumbiu à uma dor infinita.

    Aloha

    Poste um comentário
    • Obrigada pela mensagem Sandro!!

      Poste um comentário
  7. Texto objetivo e bacana, apesar do tema nada bacana. 🙁 Me fez pensar, repensar, lembrar amigos que se foram.
    O personagem chama a atenção por sua história, assim como um dia o Menino do Rio, Peti, fechou a sua história, “calção corpo aberto no espaço”, preso por uma faixa do quimono no pescoço. E tantos outros anônimos…
    Sim o surf pode ajudar um caso de depressão, mas nunca curar. A cura é interna.
    Belo texto “parceiros” das ondas 😉

    Poste um comentário
    • e tantos outros anônimos.. é preciso falar sobre suicídio e afastar esse “fantasma” que torna o tema um tabu…

      Poste um comentário
  8. Boa reflexão! Compartilho da mesma opinião (inclusive devaneava com o grupo de whats daqui de Parnaíba, neste sábado sobre o tema). Precisamos de fato repensar esta lógica a qual o mercado nos coloca. O surf é muito mais do que isso, surf é buscar uma conexão com a natureza, buscar o equilíbrio, é liberdade…Salve Jean, um grande surfista!

    Poste um comentário
    • Sim, Vinicius. Devemos estar atentos, sem radicalidades obviamente, mas é preciso resgatar a essência do surf que se perdeu há tanto tempo…

      Poste um comentário
  9. Meu nome é Ricardo Ferreira era amigo pessoal do Jean, conheço ele a mais de 10 anos e não quero falar sobre os motivos nos quais ele cometeu ou não o Suicídio, mas sobre a sua essência, essência essa que por onde ia levava a simplicidade sua, caráter único e humildade que poucos conhecia. Quem escreveu este texto não tem moral nem para duvidar do Jean e o que ele fazia, mesmo sendo ele de família tradicional, andava simples e humilde por onde quer que esteja. Atletas de todo o mundo e amigos sentirão a sua falta e sempre defenderão ele como estou fazendo aqui. Não acho justo os termos utilizados neste texto que só foi escrito para pegar uma “onda” na mídia.
    O Jean sempre foi um surfista de alma e coração e merece mais respeito pelo que fez no mundo do surf.

    Poste um comentário
    • Irmão, eu ia escrever uma resposta aqui para este texto nada a ver, que cai na mesma linha que ele julga com teorias ideológicas e absurdas, mas daí li seu comentário ponderado diante de tal absurdo. Respeito é tudo e é o que falta aos julgadores da internet sobre a vida das pessoas. Um forte abraço!! Que Deus conforte a família do Jean e d6e força para seguir. O mundo real parece agora inexplicável.

      Poste um comentário
    • concordo em genero numero e grau com essa matéria. Surfista vive em fakenews. Mundo das ilusoes bancadas por programas pontuais de TV e marcas esportivas.

      Poste um comentário
  10. Infelizmente quem está no ápice de suas profissões são os mais reverenciados e seguidos mas nem sempre são os mais capazes de deixarem bons frutos … temos inúmeros casos de grandes atletas que se perderam por inúmeros fatos .
    No caso específico ele deixou seu legado de vida …
    Que Deus o mantenha em suas magníficas ondas de nuvens .

    Poste um comentário
  11. O lamentável é como somos analfabetos emocionais, que não nos ensinaram a olhar pro que sentimos. Como homem então é ainda pior, o único sentimento aceito é a raiva ou algo que expresse violência, aí sim vc é homem. Se bate forte, seja na onda, na bola ou nas pessoas (física ou verbalmente) aí sim somos ”homens fortes” porque se demonstrar alguma vulnerabilidade, aí é “viado”. Tá triste? Que viado. Tá feliz? Coisa de viado? Alegre, chateado, frustrado, deprimido, e segue a lista (e isso acaba indo pra muitas mulheres também por consequência dessa sociedade patriarcal que crescemos) Nos ensinaram a engolir o choro e não pedir ajuda nem mostrar fraquezas pra ninguém. (Aliás tem que ser forte pra caralho pra expor fraquezas). E aí viramos panelas de pressão de violência, contra os outros ou contra nós mesmos em varias pequenas situações por não conseguir
    dizer como nos sentimos. Vivemos meias vidas por não aceitar que as forças masculinas e femininas habitam em nós, assim como o bem e o mal. A luz e a sombra. Temos que nos munir de ferramentas para a empatia, para sermos apoio real daqueles que assim como nós precisam de escuta para cuidar das coisas importantes da vida neste mundo masculinizado que acabou tendo a agressão, raiva, luta, guerras como o único sentimento aceito. A aceitação do feminino pode nos ajudar a sair desse buraco de merda que nossa sociedade se enfiou e está nos levando pro fim do nosso planeta. Remconendo o estudo sobre a “Comunicação não Violenta”, um documentário do Netflix chamado “The mask you live in”, e o livro “Não Temas o Mal” para aqueles que leram até aqui e querem buscar entender mais. Esses foram alguns dos pilares que fizeram e ainda fazem sentido na minha recuperação de uma depressao sem remédios. Com auto-conhecimento consegui sair de uma vida medíocre onde eu sequer sabia dizer o que sentia. Hoje, neste momento posso dizer que sinto muito a perda de Jean, é muito triste saber que ele não teve apoio, não conseguiu pedir apoio pra colocar os monstros, medos e inseguranças pra fora. Por outro lado celebro que tenhamos a oportunidade de falar sobre isso num meio como o do surf que vende e vive dessa máscara do homem bonito saudável pegador que “cura” tudo com o surf. Infelizmente não é bem assim. As coisas de dentro dão bem mais trabalho pra curar do que somente indo surfar e tem que levar esse caminho dê autoconhecimento a serio. A recompensa é grande e não vem no final do processo, vem logo no começo, aliás o final nunca chega uma vez que estudo de si mesmo começa verdadeiramente.

    Poste um comentário
    • Ariel, é isso. Muito obrigada pela contribuição. De verdade! Vou assistir ao doc! Keep in touch!!

      Poste um comentário
    • Que lindo seu relato… por mais pessoas assim.

      Poste um comentário
  12. Bom dia, interessante o texto, mas para nós do meio “surfistico” que ficamos sabendo em seguida o que aconteceu, não sabíamos como teria sido a sua morte, na verdade eu não sei ainda , falam em suicídio, vocês tem confirmação disso? Bem não sabemos o porque, na verdade acredito que nunca vamos saber se isso realmente aconteceu o que levou ele a tal atitude. Mas se realmente isso aconteceu os likes foram por quem ele era e o que ele representava não foram pela forma que ele morreu…. Horas depois que as noticias bombavam outro surfista jovem , excepcional pessoa faleceu com outros 2 surfista no México e a comunidade do surf mais uma vez fez suas homenagens e espalhou a noticia no meio. A questão é que ele era uma pessoa muito querida por todos, por isso tantos likes … não foi pela forma que ele morreu. E sobre o resto do mundo estar doente , sempre estivemos e agora estamos piores , mas ainda a mais gente boa do que ruim e mudaremos isso por bem ou por mal….. Do jeito que esta não vai ficar … Mas estamos mal acostumados na América do sul , não temos consciência do bem comum e isso faz ficarmos atras do mundo e sofrer…. Que DEUS abençoe que foi e quem fica … amém…. Rip Jean, Oscar , Diego e seu amigo….. Fiquem em paz e vão surfar as ondas dos Céus…

    Poste um comentário
    • Oi, Rodrigo, obrigada pela mensagem. Sim, com certeza o fato da tragédia ter alcançado um cara tão amável e querido por todos fez com que as pessoas se interessassem pelo conteúdo. A forma tbm né, o suicídio ainda choca demais… Ele fará falta, mas acredito do fundo do coração que ele esteja em paz.

      Poste um comentário
  13. A depressão nunca escolheu raça, status social, esporte, religião.
    O suicídio ainda é e sempre será um assunto chocante seja em qual setor da sociedade for. Especialistas já dizem que tal ato é para dar fim a uma dor que não sara. Quando é relacionado a algo que vivemos ou que consideramos “um santo remédio” nos faz pensar ou refletir. Tristezas todos temos, alguns procuram a saída em “fakelifes”, outros nas tão consumidas drogas em geral (inclusive nas indicadas por psiquiatras, pagés, líderes espirituais e afins). Falar de essência sempre vai estar relacionado com a alma.. e falar de alma sempre vai ligado com o interior.. E do nosso interior, ainda que não compreendamos por muitas vezes, os melhores conhecedores somos nós mesmos, cada um por si. E esse caminho é solitário e individual. Essência é interior, o exterior (seja no esporte, na terapia, amigos, etc) apenas complementa. Meditação, oração, fé e conexão são bons caminhos.
    “Conheça-se a ti mesmo…”

    R.I.P Jean.

    Poste um comentário
  14. Lógico, é triste ver um jovem ceifar sua vida. Mas o porque desta apologia ao surf como se fosse algo extraordinário. Apenas uma pessoa tentando se equilibrar num pedaço de “tábua”, em uma onda….. Nada mais. Gente ganhando muito dinheiro por de trás do psicólogo dos jovens.

    Poste um comentário
  15. Achei que ia ler um artigo inteligente, mas descambou para problematização política-de-gênero, antes mesmo de abordar a essência, que ficou em segundo plano… Broxei. Vc surfa?

    Poste um comentário
  16. Entao quer dizer que esse seu post é legal???? Tava indo bem até comparar FEIO COM PRETO COM POBRE COM IGNORANTE. Acho que passou dos limites…. Eu sou preto e rivo ta. E gato!

    Poste um comentário
    • me desculpe, não foi essa a intenção da frase!! OMG não foi mesmo!! Não fiz uma relação direta nem uma comparação entre os adjetivos!! Mil perdões de verdade. O que eu quis dizer é que o Jean era um privilegiado, um cara que nasceu numa família tradicional, teve acesso aos melhores colégios e hospitais. Que merda, realmente não ficou boa mesmo essa frase!

      Poste um comentário
  17. Quantos surfistas conheci que se foram com over dose , aids e suicidio. Desde sempre sempre desse tipo sempre ocorreram.

    Poste um comentário
  18. surf essa palavra me leva la em 1976 minha primeira camiseta porque? eu um jovem nascido na roça vivendo na maior capital do brasil conhecendo o mar litoral norte vendo aqueles meninos eles tinham algo de diferente sorrisos descontração eu quero ser como eles assim eu pensava hoje uma alma surfística
    vive em mim surf foi resumido la em cima paz humildade trabalho lazer responsabilidade dia dia pé no chão sem vaidade o resto é pirataria pura falsa honraria dos boy de carro rebaixados pagando de surfistas.iii sociedade hipocrita.

    Poste um comentário
  19. Nao existe influencia externa para suicídio, o controle da mente é de quem é dono dela. “O maravilhoso mundo do Medina” não tem nada haver com tal situação, pelo contrário, mostra para nova geração um futuro brilhante que eles podem ter através do surf.
    Somos o guia do nosso caminho, fraqueza existe para reconhecermos nosso limite, nesse caso, ele desistiu antes de saber seu próprio limite.
    #jeanforever #medina2017

    Poste um comentário
  20. A reportagem diz que o mundo do surf está doente…sinceramente discordo. Transformar o mundo do surf no que algumas mídias tentam vender usando imagens de campeões mostra que a autora está mais vendo canal off do que buscando viver o seu mundo do surf pessoal – qualquer um que lhe agrade desde que esteja dentro da água salgada – o famoso canal on.
    Tentar culpar a sociedade ou o meio “… surf excludente, misógino e preconceituoso…” por uma tragédia pessoal é até desrespeitoso com o próprio Jean.
    Me parece esse tipo de pensamento esquerdista de sempre tentar culpar os outros pelos seus problemas, o que aconteceu foi uma tragédia pessoal com responsabilidade pessoal dele e que ele – com toda a ajuda – consiga se recuperar.

    Poste um comentário
  21. Olha, aqui fala alguém que viu o Jean crescer no esporte, viajou para vários eventos comigo (eu era árbitro de surf) faz um bom tempo, que o Jean (e centenas de ex atletas de surf competição) não dão ênfase no eventos. Isso é opção pessoal e de vida, o mercado do surf está cada vez maior, essa de que o esporte é excludente, é uma baita viagem, quer dizer então, que quem bate um tênis com os amigos, está excluído? Essência??? O que você quer ver? Deuses Havaianos surfando lá em Pipe? Como pode alguém usar uma tragédia dessas, para criar conceitos equivocados? Querendo culpar os vitoriosos (e o Jean da Silva era um deles) pela frustação de vida de alguns amargos? Faz o seguinte, vai primeiro conhecer a história desse guri, vai antes de qualquer coisa, adentrar ao nosso mundo do surf, com esse seu texto aí, fica claro o quanto você desconhece o nosso mundo.

    Poste um comentário
  22. O Surf nunca teve essa essência criada pela mídia, o surf limpa a alma do surfista, mas n que isso vá trazer status, dinheiro ou outra coisa… desde o momento q existiu o Hauli (surfista de “fora” e indesejado pelos locais), acabou a magia do Surf. O que existe eh um jovem depressivo e pelas fotos e viajens ninguém enxergava isso, infelizmente.

    Poste um comentário
  23. Acho que o texto faz pensar na gravidade da doença, citar nomes renomados do surf na sua “vida bacana” talvez não diga uma realidade de um atleta profissional de alto nível em qualquer segmento, muita luta e perseverança!
    Onde está” Essência do surf” pratico esporte que é o voo livre que tem uma semelhança com o surf pq dependemos da natureza para pratica-las, e vejo alguns atletas que são renomados no mundo do voo, porém não saem na mídia e não ganham dinheiro como o surf. Mais são atletas persistente e com um desejo a ser alcançado.
    Temos sim que ter atenção na doença e aceitar como uma verdadeira doença, Talvez falta essa compreensão!!

    Poste um comentário
  24. Depressão é grave e acontece com qquer pessoa de qquer área….inclusive c um atleta, um surfista. É uma doença grave !Escutem e estudem a respeito ! Não falem do surf…pelo amor…

    Poste um comentário
  25. Depressão é muito grave e acontece com qquer pessoa de qquer área….inclusive c um atleta, surfista. É uma doença gravíssima !Escutem e estudem a respeito ! Não falem do surf…pelo amor…

    Poste um comentário
    • Não falem do surf?! Este espaço foi criado para falar do surf, Jean era um surfista. O mercado em que o surf se transformou deve sim ser citado. Não pretendi ligar diretamente a depressão ou o suicídio ao esporte. Mas indagar, por que um surfista espiritualizado, conectado com valores edificantes do ser, como era Jean, cometeria tal ação tão radical? A superficialidade do mercado do surf tem ligação com isso? A superficialidade desta nossa sociedade tem ligação com isso?
      Liberdade de expressão nasceu pra isso tbm tá #ficaadica

      Poste um comentário
      • Se querias audiência com essa matéria, você já conseguiu, bem vinda ao nosso “misógino” mercado do surf.

        Poste um comentário
      • Como querer explicar emoções, valores e sentimentos? Talvez seja este um dos problemas da sociedade, pois sociedade sem problemas seria um mundo utópico.

        Aquilo que é superficial para você não necessariamente vai ser para o outro. A mídia, a TV é um reflexo da sociedade com tudo o que gostamos e detestamos. É a vitrine da vida com tudo aquilo que nos atrai e nos incomoda.

        Não há como culpar a vida ou padrões de valores porque cada um tem o seu e o direito de vivê-lo buscá-lo ou não. Essa é a vida. A vida real.

        Eu acho que as razões do suicídio são inexplicáveis e é muito leviano tentar explicar, porque não há razão. Sim estamos chocados, mas se pesquisar sobre suicídio vai ver que ele ocorre tanto com os felizes como infelizes a partir de qualquer julgamento de alguém sobre o que é felicidade ou não e em qualquer segmento da sociedade, do miserável ao bem sucedido.

        Você pode achar racionalmente que um homem branco, de família, boa condição social, que pôde estudar nos melhores colégios é um privilegiado, mas já imaginou que estas condições acima citadas no mundo de hoje para um cara sensível pode ser uma tremenda panela de pressão da patrulha dos salvadores da ética moral e valores do mundo? Pode ser um desprivilegio?

        O maior privilégio que existe neste mundo é estar vivo sob o meu ponto de vista e sob os meus valores, mas preciso respeitar aqueles que de alguma forma chegaram a conclusão que não. E isso não é culpa do surf, do capitalismo, do comunismo, do misógino, do racista, do bonitão, do playboy, do executivo ou da mulher feia, de ninguém. É uma condição humana própria social em meio a milhões de pessoas e variáveis valores individuais que sempre vão existir, e por sermos humanos pode acontecer comigo, com você e com todo mundo, independente da condição social ou do mundo como ele se apresentar para nós.

        “Cumpriu sua sentença. Encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo, morre.” Ariano Suassuna sobre a morte do protagonista em o Auto da Compadecida

        Luz e Paz!!

        Poste um comentário
  26. Texto bem elaborado, até um pouco convincente! Só não quero acreditar em duas hipóteses:
    1 Assim como esse bando de imbecis citados no próprio texto tenho a impressão que vocês estão julgando, ou pior, justificando a decisão do cara em tirar a própria vida!
    2 Buscando desenfreadamente cliques e seguidores, usando essa tragedia como carona para audiência!

    Estamos de olho !

    Poste um comentário
  27. Só pq a pessoa é lésbica ou preta ela vai ter depressão?? A pessoa desse texto descreve q o jean como símbolo de um padrão de beleza e que as outras pessoas “são fora do padrão” e que essas sim, tem tendências a depressão. Até o rico branco, “bonito” se mata, amigo. Texto preconceituoso.

    Poste um comentário
    • então, não tive essa intenção. Se vc reler o texto vai entender que o que tentei dizer é que o surf não afasta ninguém da depressão, muito menos uma pessoa que não se enquadra nos padrões e esteriótipos do mercado do surf…

      Poste um comentário
  28. Acredito que vcs deveriam ter cuidado com esse trecho: “Jean não era pobre, nem preto, nem ignorante. Muito pelo contrário. Era bonito, saudável”
    Não soou legal…

    Poste um comentário
    • não mesmo Lilian!! Muito obrigada pela mensagem. Não queria fazer uma ligação direta entre os adjetivos. Já alteramos lá, muito obrigada!!

      Poste um comentário
  29. Vamos so lembrar que a depressao é uma doença organonfuncional… ela reflete sim o relacionamento entre individuo e ambiente, mas pode ser de dificil controle endogeno. Acho sim q o mundo exteriorizado hoje é falso, cria falsos personagem e nessa falsidade toda, esquecemos de lidar com questoes e emoçoes reais. Mais ainda quando se é atleta e vive-se a pressao de um mercado restrito, cheio de holofotes, e no qual a imagem tem grande exploraçao. Mas as vezes, nao basta apenas o ambiente. Existem fatores individuais que o ambiente, familia e o proprio individuo nao controlam. Podemos refletir e julgar o que esta acontecendo em termos de projeçao social e midiatica dos esportes e o quanto isso pode ser prejudicial p alguns, mas nunca julgar o individuo ou qq pessoa. Suicidio é a via final de uma doença grave, pode ocorrer com qq um, independente da vida q se leve. E as vezes pode ser uma doença silenciosa, que pega todos no contrapé. Não nos iludamos ao achar que as respostas sao simples, mas os questionamentos ao nosso redor sao validos, para que cada um olhe p si e entenda como podemos melhorar o nosso entorno. Minha humilde opiniao.

    Poste um comentário
  30. Eu conversei com o Jean esse ano, quando veio na minha casa almoçar com minha família, (conversamos enquanto eu fazia comida e ele, como sempre, ajudava) durante as etapas do WQS de Portugal. Ele realmente estava muito feliz com a Yoga e alimentação natural pq disse que mudou a vida dele da agua pro vinho. Ele também me disse que estava muito triste de, mesmo sendo privilegiado, não conseguir acompanhar a galera q ele sempre viajou, em termos de classificação, e que era a primeira vez em muito tempo q ele tava nessa posição. Se comparou ao meu marido, Pedro Henrique, mas se colocou pior do que o Pedro pq pelo menos o Pedro não tinha patrocinio, já ele tinha tudo. Palavras dele. Ele tava triste e estava se alegrando de outras fontes de vida pra ele, que não era o surf. Ele disse pra mim que teve um tempo que ele tava sem vontade de surfar e isso foi voltando por causa das atividades dele de meditação. E ele tava melhorando mas voltava a dizer que era muito ruim estar na posição q ele estava no ranking, tendo tudo q sempre teve. E que queria lutar pra subir no ranking mas que só ia lutar no ano que vem pq esse ano pra ele tinha acabado já. Eu ainda falei q ele tinha q ter esperança ainda nesse ano pq ele conseguiu um resultado bom e ainda tinha algumas etapas fortes e ele disse q não. Esse ano ele já não esperava nenhum resultado no surf e repetiu que o ano pra ele acabou. Ele falava isso bem triste e a gente falava de outras coisas. Ele tava muito feliz com os amigos, ele falou muito bem do Lucas Silveira e do pai dele, que ensinaram muita coisa pra ele e que estava ajudando muito ele esses ensinamentos. O surf precisa falar disso. Não é o primeiro e nem será o último surfista a sofrer de depressão. Eu estive no ônibus da Billabong e na casa da Billabong nos eventos do CT em 2006 com Occy, Bede, Joel, Andy etc e fiquei muito chocada quando soube da quantidade de drogas que (por exemplo) Andy usava. Qdo a esposa dele chamou o Andy pra fumar cigarro do lado de fora, ela me falou que era feio mas que pelo menos ela conseguiu que ele fumasse apenas cigarro, e que isso ajudava na depressão. O mundo do surf não discute isso. A WSL não se pronuncia. Ninguém da família quer assumir o que acontece por trás desses eventos. Tem milhões de casos horríveis, que ninguém fala.
    Os atletas sofrem muito. Sozinhos. Precisa haver um debate sério urgente.
    Ainda não consigo falar sobre o Jean, fico imensamente triste, mas precisava escrever esse comentário aqui, depois de ler esse texto. Carol

    Poste um comentário
    • Carol,
      Não tenho palavras para expressar minha gratidão por esta mensagem.
      Alguém que tenha falado com ele, jantado, ouvido coisas tão profundas como vc e seu marido (sempre admirei muito a batalha do Pedro e o talento dele!) ouviram dele.
      Fui duramente criticada por relacionar o suicidio de Jean com a superficialidade que o mercado do surf se transformou.
      Conheci o Occy quando vivi na Australia. Ouvi dele o pesadelo que foram os anos abusando de alcool e droga.
      Muito triste ver isso tudo.
      Claro que isto nao é exclusividade do surf…
      Mas me arrepia pensar que Jean se matou pq nao se sentia parte dos que eram vitoriosos nas competições…enfim…tudo muito dolorido e difícil de entender.
      Beijo grande!!

      Poste um comentário
  31. Não sabemos se foi isso a causa da morte desse surfista;. Mas que o texto é bem verdadeiro, sim ele é. E quem descorda do texto, faz parte dessa panelinha asquerosa de empresas e programas de TV que bancam ( desde crianças ), sem cobrar estudo e frequencia escolar, viagens frequentes ao exterior, e ajudam a criar ilusões em mentes vazias. Tem um monte de adolescente que nao possui conteudo algum, viajando mensalmente para suas trips internacionais, bancados por empresas gringas, e o que eles levam para a vida? ( alem de grana, e fama repentina ).? NADA> PARABENS À QUEM ESCREVEU E DISSE MEIA DUZIA DE VERDADES SOBRE ESSE MUNDO FAKE DE SURFISTAS MODINHAS.

    Poste um comentário
  32. Quando não temos nada de construtivo a colocar, é melhor ficar calado. Mais respeito aos que estão sofrendo, não é hora para esse tipo de discussão. Depressão não tem nada haver com essencia ou não do surf.
    Paz

    Poste um comentário
  33. Que texto de merda. A essência do Surf está em cada um, e cada um é diferente. Ele tinha problemas como qualquer um, se suicidou, pronto, tem gente que tá na merda eh faz isso. E o surf? O surf não tem nada a ver com isso!

    Poste um comentário
  34. Brilhante seu texto !!
    Os questionamentos foram muito bem colocados. O Mundo Virtual dos smartphones e tablets tirou um pouco a essência do surf.
    Gostava de olhar minhas revistas de surf, com suas fotos deslumbrantes, me envolvendo num mundo alternativo, cheio de vibração.
    Hoje as fakenews e fakelifes, como você falou, me incomodam demais.
    Não temos mais tempo para olhar as pessoas em volta, dar atenção aos mais próximos, trocar uma ideia.
    Vivemos imersos no mundo virtual, onde tudo é bonito e maravilhoso, sem problemas ou angustias. Na verdade somos cada vez mais solitários, conversando por aplicativos, sem passar maiores emoções.
    Não é difícil imaginar porque tantos pessoas se sentem deprimidas.

    Poste um comentário
  35. Quanto asneira em um texto só. Querer justificar a morte de alguém em tudo ! Deixa o cara descansar, o surf liberta !

    Poste um comentário
  36. O texto parte da premissa que o atleta suicidou-se, e até onde eu sei isso não foi confirmado. O texto é bonito e bem escrito, porém leva o assunto pra essa chatice do politicamente correto, do feio e do bonito, do rico e do pobre. O surf machista? desculpa mas eu discordo e muito com essa afirmação, sou surfista há alguns anos e é impressionante como aumentou o número de surfistas mulheres, basta dar uma passada nas praias do sul no verão pra ver a quantidade de meninas que estão surfando e muito! Graças talvez a divulgação que a mídia está dando para o esporte, coisa que nunca aconteceu anteriormente, e que acontece agora por termos uma geração de sufistas competidores muito bons, inclusive que trouxeram dois campeonatos mundiais para o Brasil. Concordo plenamente com a conclusão do texto onde diz que a essência do surf é a liberdade, a respiração , natureza, tranquilidade… O que não combina com o surf é o teor desse texto, de rico pobre , bonito e feio, bem sucedido e mal sucedido. O surf há muitos anos atrás era sim um esporte elitizado, até porque não são todos que tem a oportunidade de frequentar praias e adquirir uma prancha de surf, mas hoje em dia o surf ta muito disseminado, acredito que o Brasil seja o país onde mais se pratica o surf. E o surf é para todos, para os ricos, para os pobres, pro gordo, pro magro, pro feio , pro bonito.. Que coisa chata esse mimimi essa vitimização que existe hoje em dia, isso sim não combina com surf.

    Poste um comentário
  37. Parei de ler quando disse que o surfe é um esporte machista e blá blá blá. Nunca em nenhuma época houve uma ascensão das mulheres no surfe, tanto como campeonato e mídia. O surfe já excluiu sim, mas hoje não exclui mais. Tantos projetos sociais por aí, atletas e marcas que ajudam crianças, adolescentes e suas famílias, levam para viagens, ajudam na escola.
    O que me parece é que quem escreveu é uma pessoa frustadas com a vida e quer culpar o esporte por isso. Sinceramente essa “reflexão” é uma das mais ridícula que já li. Esse blog não deveria ser chamado “Origem do Surf”. Procure um profissional para curar essa frustração.

    Poste um comentário
    • Sim, cara… que mania de problematizar e escrever por escrever. Num tudo é política. Nem tudo é frustração. Surf é muito mais do que isso… ao invés de se vitimizar, JUST DO IT! Essa reflexão não é essência. Não é Surf.

      Poste um comentário
  38. Não conhecia essa que era com um figuraça do surf! Aí? Deve ter cansado, não adianta entender. Só é possível orar. E Deus conforte o coração de toda a família

    Poste um comentário
  39. Como sabem que foi suicídio? A família não divulgou as causas da morte.

    Poste um comentário
  40. Na atual realidade, devido ao avanço tecnológico, cada dia mais, estamos conectados nas mídias sociais, o que antes eram notícias ao longo de meses, semanas, dias… passamos a acompanhar o dia dia, ver o que um atleta profissional faz, sua rotina de treinos, dieta, diversão, tudo está à distância de um click, seguir, curtir.
    Aos que sempre admiraram o caminho do surf competitivo ou aqueles que preferiram desbravar locais intocados e paradisíacos para mostrar o que é o real freesurfer, muitos surfistas souberam escolher e muitos deles fizeram história de acordo com as suas escolhas.
    Devido a esse conjunto de fatores tecnológicos de fácil acesso, muitos atletas, principalmente os que se destacaram no caminho que seguiram, expõem a suas vidas, seja em aplicativos, nas mídias sociais ou em programas próprios televisão.
    Pois bem, isso levanta a questão do “mundo fake” em que as redes sociais transmite diariamente. Toda essa exposição, na maioria das postagens, retratam uma vida regada com tudo do bom e do melhor, a vida levada por eles é a vida que todo mundo pediu a Deus, não? Isso é válido, também, para muitos vídeos de surf, que mostram aquele lugar maravilhoso, sol, ondas dos sonhos, mas não mostra que existe uma miséria de cortar o coração em toda aquela população.
    Não devemos generalizar as situações, a mídia se posiciona de acordo com quem está no topo, a mídia necessita de ibope, a mídia sobrevive de pessoas que desatacaram em seus cenários, para assim, despertarem o interesse da população em assistir seus materiais.
    Diante de tudo isso, o Jean preferiu a decisão extrema, não se sabe bem ao certo o porque, e nunca vamos saber, mas quem está de fora, quem sempre o acompanhou, vai lembrar de tudo de bom que esse cara fez, e pode ter certeza que ele precisava de alguém que o ajudasse, que fizesse com que ele percebesse o quão grandioso ele era como ser humano e como homem. Busquem a compreensão e a aceitação. Abandonar o jogo nunca vai ser a solução.

    Poste um comentário
  41. Discordo em relação ao mundo do surfe. O circuito nunca foi tão plural, cheio de brasileiro de origem humilde, exemplos pra molecada, na maior brotheragem. Como se pode ver nas mídias sociais dos atletas. O mundo Medina quem vê é o rico q tem tv a cabo.
    O assunto suicidio deve ser amplamente discutido mas acho q o texto mistura as coisas. Até porque não sabemos o que tava pegando. Pode não ter nada a ver com surfe. Quem sabe?
    A sociedade como um todo está sim indo pra um caminho estranho polarizando sucesso e fracasso levando geral pra frustração e depressao, mas pra mim o mundo do surfe ainda é um reduto de sanidade e bem estar.

    Poste um comentário
  42. Uma tristeza pra quem fica (familia, amigos e admiradores). É verdade. Que esse tormento seja jogado no mar do esquecimento!

    Por outro lado quando vai se falar de Deus (o Deus da criação!o único.) pessoal torce o nariz.

    Pois bem!

    O esqueleto está levando mesmo e ele nao se importa com quem você é e nem de onde veio. A armadilha são sempre as mesmas:
    Corrupção, Violência, suicídio e por aí vai.
    Ele vem pra matar, roubar e destruir.

    Entretanto o que é de Deus (mais uma vez: o Deus verdadeiro. O da palavra) o maligno não toca!

    Desculpa se isso incomodou alguém mas há outros “Jeans” por aí, quem sabe lendo isso agora. Amigo, amiga, irmãos:
    Deus tem uma história linda pra você. Ele nao quer ser conhecido só como Deus mas sim como Pai.

    Como discernir promessa de realidade
    https://m.youtube.com/watch?v=mjoJomtZKu8

    Caro autor do texto/blog
    Por favor autorize essa minha mensagem pois faz um tempo eu poderia ter sofrido a mesma decisão do Jean e hoje estou aqui. Sou um pai de familia e tambem uso meu coraçao aberto para que as pessoas possam descobrir o tesouro que Deus colocou dentro de cada um de nós

    Poste um comentário
  43. Meu Deus!!! Que texto é esse? Vc deve ser muito íntima do Jean para trazer essas questões (racismo, machismo, feminismo e outros “íamos” da moda) para a reflexão sobre a morte no rapaz. Eu surfo há 32 anos, competi e conheço atletas e nunca vi essa negatividade monstruosa rondando o mundo do surf.
    Tem muita coisa envolvida e inexplicável envolvendo o suicidio. Eu tenho um caso na família e sei bem o que é isso.
    Vá para água surfar!!! E ore pela família do Jean. Aloha!

    Poste um comentário
  44. Parei de ler aqui: “…Mas o surf, esse surf excludente atual, machista, misógino…”
    O mimimi venenoso da esquerda vestiu o wetsuit.
    Texto infantil e egocêntrico.
    Vai estudar um pouco pra não afundar o blog.

    Poste um comentário
  45. Acho válida a discussão e realmente tá sendo muito duro para qualquer pessoa que surfa e/ou se identificava com o estilo de vida do Jean aceitar a decisão dele. Acho que o problema não são as competições e muito menos as marcas. As marcas sempre vão refletir o que as pessoas querem. Ou seja, as marcas são os sintomas, mas quem está “doente” são as pessoas e a sociedade do surf. Competição é uma coisa boa, mas como tudo na vida precisamos de um equilíbrio. O free surfer no Brasil tem ainda menos espaço do que fora do Brasil. Se analisarmos as matérias de vários sites, inclusive aqui, veremos que se fala muito de competições e principalmente WT. O surf é muito mais do que a elite e deveríamos fortalecer muito mais o QS, o Feminino, o Brasileiro, os estaduais ainda mais os free surfers. Deveríamos mudar um pouco nossa cultura de surf, somos um país duas vezes campeão mundial do WT e muitas outras vezes campeão mundial do QS. Somos um país com surfistas experientes que já não estão mais competindo e quem tem muito mais estilo que qualquer surfista do WT hoje. Não quero nunca apoiar um discurso bairrista e ou nacionalista, mas acredito que deveríamos olhar um pouco mais para nós, para os nossos surfistas, para a nossa história, para as nossas lendas. Isso não vai voltar no tempo e muito menos salvar o Jean, mas acredito que o Jean tinha um estilo único e muito surfe no pé e o fato de ele não estar entre os 30 surfistas que mais se enquadram nos critérios de julgamento de uma liga de surf fazem dele pior surfista ou atleta.

    Poste um comentário
  46. Não tem o que escrever, quem escreveu isso nunca surfou na vida, comparar o surfe com futebol, só deve tá querendo aparecer. Triste você que escreveu isso

    Poste um comentário
    • Eu surfo há 15 anos Leopoldo, creio que tu não entendeu o texto ou meu texto não foi claro. Mas minha intenção não foi comparar com futebol, pelo contrário, foi comparar o surfe de competição com o free surf e o quanto a mídia especializada não equilibra a atenção que dá para ambos.

      Poste um comentário
      • O cara não era free surfer, se tu acompanhasse iria ver o nome dele em inúmeros campeonatos, ele competia no QS, problemas todos têm, alguns problemas grandes e outros nem tanto… mas como no Brasil todo mundo faz fofoca, fala o que não sabe, vem muitas histórias distorcidas, e se ele descobriu algum problema de saúde e não quis enfrentar? E se ele abusou de algum tipo de droga? Falem menos por favor, vocês não sabem o que se passa na vida de ninguém

        Poste um comentário
    • Triste seu comentário…
      O esporte é um todo e o surf n é um esporte como todo outro… quem pratica a atividade q gosta de satisfaz independentemente de qualneaporte pratica

      Poste um comentário
  47. Em um mundo tecnológico, pessoas não são suficientes, queremos mais, mais acesso, mais fikes, mais tudo, menos o homem. Quem sabe o saudoso Jean, buscava em si, o que não encontrava nos “cabeças baixa”, pois é; “as vezes ser auto-suficiente não é tudo, apenas uma parte”. Keep surfing.

    Poste um comentário
  48. Apenas não concordo com a parte do gordo, lésbica, cabelo ruim e por aí vai…pois isso me parece certa discriminação. Todos têm direito a gostar de surf ou na real do que quiserem.
    Os comentários foram colocados de maneira errada e muito infelizes pelo autor.
    Poderia ter escrito de uma forma mehor isso

    Poste um comentário
    • Sandro, acho que você não entendeu o texto. No trecho que você crítica ele critica exatamente a discriminação, não o oposto como você entendeu

      Poste um comentário
  49. Bom , Paz de Cristo, li o texto, comecei a surfar com 12 anos de idade, o surf é diferenciado de qualquer outro esporte, joguei, volei, basquete, futebol, futsal,luta…; porém o surf é muito mais, é o contato com a natureza , com o Criador, com o gosto da água salgada, é o vento no rosto, é deslizar sobre a água , é a remada, é tudo, competição e a exploração das marcas roubam a essência do surf, tiram realmente o que o surf significa, pra quem tem o surf dentro da alma, é qdo vc sai do trabalho fissurado pra entrar na água, que qdo chega o momento vc fica só pensando na hora de entrar na água, e quando finaliza a manobra qua pra vc foi sensacional, agradece a Deus, parecendo uma criança qdo fica pela primeira vez em pé na prancha, então o surf é muito mais,mas só quem tem ele dentro da alma sabe disso, o que aconteceu com Jean foi uma tragédia que não tem nada haver se ele era surfista, mas era um ser humano, composto de corpo , alma e espírito, independente de sua profissão.

    Poste um comentário
  50. Bom dia. Realmente, suicídio é tabu. Ninguém quer falar sobre e é preciso falar sobre. E o CVV vem na contra mão da sociedade e fala sobre o suicídio e trabalha na prevenção. Apoiem e divulguem esse trabalho de apoio emocional. Acessem o site:www.cvv.org.br . Um abraço

    Poste um comentário
  51. Este texto coloca os canais de tv voltados ao surf como se fossem vilões e as marcas como carrascos que só patrocinam os bons. Ué!?! Em todos os esportes é assim, a competição é excludente por si só, não sejamos infantis, o suicídio é legítimo e foge a compreensão de todos nós pq é individual, é decisão solo, a sociedade não tem nada a ver com a decisão de uma pessoa. Cada suicídio é unico, é soberba achar que podemos opinar sobre os motivos de uma pessoa decretar o fim. Se você não leu a carta de despedida e não conviveu com a pessoa retire-se a sua insignificância e pobreza de espírito com julgamentos morais e suposições perversas a cerca de algo que está longe de ser compreendido por mentes limitadas. Respeite a vida alheia, respeite as decisões alheias.

    Poste um comentário
  52. Nunca ouviu falar do Burquina Faso?… santa ignorância.

    Poste um comentário
  53. concordo que vivemos um surf supérfluo, voltado para a imagem e no caso dos atletas selecionador para aqueles que tem a imagem ideal.

    a essencia do surf se perde, náo só pelas marcas ou midias, mas tb pelos praticantes…. que ja nao tem mais aquela vibe, respeito e tudo aquilo que vc bem cita acima.

    honestamente não entendi a comparação ou inclusão desse tema no sucidio de um atleta.

    até o momento nao sabemos a causa do sucidio mas duvido que tenha sido por falta de patrocinio ou exposição na midia. Apesar do Jean ser uma atleta de elite, ele era um ser humano, casca grossa mas com todas as dores de barriga de uma pessoa. E provavelmente dai venho o driver para se matar.

    achei o texto bom mas não pertinente neste momento e com todo respeito, sem nenhuma correlacao comprovada.

    PS – surf ha 20 anos, sou snowboard, skatista e skydiver

    intsa: fc_carv

    Aloha

    Poste um comentário
  54. Jean não era pobre, nem preto, nem ignorante. Muito pelo contrário. Era de uma família tradicional de Joinville, sul do País. Teve acesso aos melhores colégios, era “branco”.

    Horrível este parágrafo , preconceituodo , mal colocado , muito infeliz
    Eca !!!!!

    Poste um comentário
    • Como uma constatação pode ser mal educada??
      O autor simplesmente relata um fato..

      Poderia dizer eu que vc esta é do preconceito com pessoas “ brancas, educadas, de boa família”?

      Realmente ter um bom status no BR eh um problema para os não politizados, vc no sabe como a família dele conquistou isso, quanto suor foi derramado

      Poste um comentário
    • Concordo plenamente com vce!!!
      Colocação ridícula…
      Somos seres humanos, e tdos tem problemas, independente do esporte que pratica.
      Ele estava doente, e infelizmente fez oq fez.

      Poste um comentário
  55. Você necessita revisar alguns conceitos, sem dúvida. Quando há mais comentários com relação ao autor do texto do que com relação à matéria, algo está errado…

    Poste um comentário
  56. Humanos somos todos e problemas tdos temos.
    Não costumo ler sobre surf, mto menos acompanhar, mas, me tocou mto o suicidio dele, pq suicidio é algo mto triste na minha opinião. A pessoa não viu saída e qts vezes nós passamos por coisas que nos tiram do centro? Quem nunca sentiu vontade ou pelo menos pensou em arrancar a cabeça qd os pensamentos não nos deixam em paz??
    A gente pode não ter tido vontade de atentar contra a própria vida, mas, é possível sim imaginar a sensaçao, mesmo que não saibamos o motivo. Podemos questionar, não entender, mas é humano aceitar… Ele fez uma escolha, por mais drástica e dolorida que seja.
    Quando a vida nos aperta de tdos os lados, o caminho ideal é para o alto, para a espiritualidade, para o encontro com o divino…para Deus.
    Porém, o caminhar até lá é cheio de percalços e desafios, alguns escolhem encurtá-lo… Uma pena, uma perda e sim, um bom momento para se refletir e se analisar.
    Que a escolha deste rapaz possa ajudar outros a pensar… e que Deus o ampare e ilumine o caminho dele do lado de lá… pq sim , a caminhada mesmo lá, não será fácil.

    Poste um comentário
    • Leila, você já esteve lá pra dizer que a caminhada dele não será fácil?

      Poste um comentário
  57. Situação delicada dar opinião, a tendencia do esporte é abrir a vida ser feliz, mas a pessoa tem que estar de bem consigo mesma temos muitas dificuldades intimas, a momentos em que somos fracos para conseguir resolver, e o resultado fica pra cada um responder!!!!

    Poste um comentário
  58. Muito triste a pessoa chegar ao ponto de se suicidar, muito triste mesmo! Agora, sinceramente, achei o texto agressivo e preconceituoso.

    Poste um comentário
  59. Triste a pessoa chegar ao ponto de se suicidar, triste mesmo!
    Sinceramente, achei o texto agressivo e preconceituoso.

    Poste um comentário
  60. Mania essa de surfista se achar melhor, diferente ou superior aos demais. Assim como no futebol, o Surf hoje vende a imagem, tanto que Medina está mais com o parca Neymar do que qualquer bro do surfe. Marcas, patrocínio, mulheres, eventos, enfim tudo hoje está conectado a imagem e não a qualidade ou espírito do surfista, tanto que maioria aqui não segue ou não seguia o Jean, muitos ficaram sabendo quem é após a nota da mídia. A mudança do mercado vinda do crescimento econômico e profissionalização do surfe é um processo idêntico ao futebol. E quem perde a essência às vezes perde também o sentido da vida. Pra começar 80% ou mais dos insta dos surfistas top tem conteúdo postado por assessores, pra atrair seguidores, aumentar lucro e afunilar ainda mais os lucros do mercado…e com o lucro vem a fama, as mulheres. Ao invés de mimimi, melhor seria calçar as sandálias da humildade, admitir o problema e tratar antes que o surf vire o futebol.

    Poste um comentário
  61. Oi. Achei a reflexão levantada sobre a morte precoce muito válida. Como psicanalista não enxergo dessa maneira. O surf, assim como qualquer esporte ou ações escolhidas pra sairmos das neuroses e cobranças dos dias atuais, não tem nenhuma relação com o fato de suicidar. Tirar a propria vida independe do lazer, profissão, religião ou o que quer seja. Hoje já é comprovado que os surtos suicidas acontecem pela junção de fatores neuroquimicos e um ambiente sem perspectiva e confuso. Sei que perdemos uma pessoa fantástica que sem dúvida estava desconectado neurologicamente…quanto mais cedo tratamos melhor…um abraço a todos

    Poste um comentário
  62. O surf não torna o surfista imune às psicopatoloias que levam ao suicídio. Da mesma forma que nenhum esporte é terapia – como muitos dizem por ai… Ninguém é imune a isso! E não há uma “causa” específica para isto. Culpar ou responsabilizar a “cultura midiática atual do surf” é no mínimo ridículo. O surfista de hoje com toda a certeza não é o mesmo do que quando eu comecei a pegar onda à 28 anos atrás, como também a minha geração não era igual a da que me antecedeu… O surf “evoluiu” da mesma forma como toda a sociedade… Acredito que nesse momento, devemos respeitar a família e os amigos e, quem sabe, a partir de agora a preparação psicológica de atletas seja tratada com mais responsabilidade! Como psicólogo, sugiro que os patrocinadores levem isso em consideração no preparo de seus atletas!

    Poste um comentário
  63. o cara era gay e se matou pq surf é um “esporte”/meio ultra preconceituoso. acordem.

    Poste um comentário
  64. O comentário sobre ele não ser preto foi de péssimo gosto!!

    Poste um comentário
  65. Achei muito apropriado o texto, e devemos refletir muito sobre esse mundo de imagens nas redes sociais, do culto exagerado a uns e outros, um mundo de falsas ilusões, tem que se ter muito cuidado!

    Poste um comentário
  66. O que as pessoas não querem entender é que há psicopatas em todos os lugares e muitos cometem homicidios e outros suicidios.

    Poste um comentário
  67. Depressão não escolhe profissão. É
    Um somatório de variáveis majoritariamente aleatórios. Esse texto não contribui para o atendimento da questão.

    Poste um comentário
  68. Gente todos somos seres humanos , no mundo atual a depressão e o que mais leva á fazer uma atitude desta, nao importa se e rico , pobre , preto ,branco estudou em boa ou ruim escola.O mundo que vivemos nos leva a depressão e este mal e horrivel , em um momento de fraqueza pronto faz o que não deve, e são muitos os fatores de nos leva a depressão.Não podemos julgar ninguem pq so quem sabe de seus problemas ou o que nos leva a depressão somos nos mesmos.Que Deus conforte a todas as pessoas que tomam esta atitude.

    Poste um comentário
  69. O Suicida acima é o mais corajoso de todos porque ele vai e põe um fim. É a unica conclusao filosofica definitiva nessa vida é que ela deve acabar ali. É preciso muita coragem para chegar a conclusão de que viver nao vale mais a pena : FIM. Quem critica, nao pode sonhar o que estava passando na cabeça desse rapaz, nao importa se ele era um grande atleta, com acesso as melhores e mais lindas lugares do mundo, a existencia e necessidades basiscas de um ser variam e podem muito ir muito além do que aparecem ou voce julga ser suficiente. Vivemos em uma sociedade massacrante Tentar entender as razoes que levam a pessoa a por fim a propria vida é inviavel, talvez impossivel. RIP Jean

    Poste um comentário
  70. Nao se pode julgar o palco sem conhecer a história por trás do show é mais ou menos assim, pode ser que o surf não tenha nada haver na história da morte do Jean, problemas outros pode ter causado

    Poste um comentário
  71. li tudo isto nao sacai sumo algum,,,,muito fraco

    Poste um comentário

Trackbacks/Pingbacks

  1. Feminista sem noção: surfista de SC comete suicídio, feminista culpa o “homem branco e o machismo” | Mulheres contra o feminismo - […] post  do blog Origem Surf uma feminista culpa o racismo e o homem branco pela morte do rapaz. Indo…
  2. Franklin Serpa é o grande campeão do Itacaré Surf Music – Destaques do Dia│Últimas Notícias & Manchetes - […] você ainda não conhece Franklin Serpa, vale a pena dar uma olhada neste vídeo. Ao lado do falecido Jean…
  3. Franklin Serpa é o grande campeão do Itacaré Surf Music - […] você ainda não conhece Franklin Serpa, vale a pena dar uma olhada neste vídeo. Ao lado do falecido Jean…
  4. Como lidar com os haters? Blog é invadido por onda de ódio - […] Jean da Silva se suicidara; eu como fã, não vi outra possibilidade senão escrever sobre ele. Afinal, é isso…
  5. Como lidar com os haters? Blog é invadido por onda de ódio | Noticias - Esportes | - […] Jean da Silva se suicidara; eu como fã, não vi outra possibilidade senão escrever sobre ele. Afinal, é isso…
  6. Urandir - Just True News | ESPORTE | ESPORTE – Como lidar com os haters? Blog é invadido por onda de ódio - urandir 2018 - […] Jean da Silva se suicidara; eu como fã, não vi outra possibilidade senão escrever sobre ele. Afinal, é isso…

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *