Precisamos falar sobre remendo de prancha!

Vicente das Pranchas há mais de 10 anos consertando pranchas de surf e stand-up em Ubatuba.

Quem nunca teve o sonho da queda perfeita arruinado depois de quebrar a prancha?

Uma batida sem querer, um bico que esbarra não sei onde, uma rabeta que quebra no chão por descuido? Antes da queda, durante ou depois. A todo tempo, estamos sujeitos a ter que recorrer ao velho e bom remendo de prancha.

Mas o que usar para amenizar os estragos e levar a prancha de surfe para o conserto com menos prejuízo possível?

Houve uma época que o silvertape era a bola da vez entre os surfistas, mas o que muitos não sabem é que a tal da fita prateada não ajuda em nada.

Segundo Vicente Fagundes Basile, mais conhecido como Vicente das pranchas, a fita prateada não é a melhor saída.

“O tape nada mais é que um pano com cola, então ele retém água e não veda. Quando coloca o tape na prancha, aquela cola impregna na área do quebrado e em volta, é muito ruim para tirar e fica muito sujo dificultando o conserto”.

Vicente surfa há 25 anos e é proprietário da Oficina das Pranchas, que existe há 10 anos em Ubatuba e já salvou a queda de muita gente.

“Em média passam cerca de 500 pranchas por mês pela oficina, desde um simples lascado no bico até pranchas partidas ao meio. Os consertos que mais aparecem são de bico e rabeta, depois vem copinho de quilha, vibrados e os mais complexos como partidas ao meio, regressão”, conta Vicente.

IMG_9007_1
Copinhos sendo reparados. Foto Fi Burjato.

Muitos surfistas usam a parafina para tampar possíveis estragos e vedar a entrada de água na prancha. Segundo Vicente, isso também não ajuda muito.

“A gente sempre pede para que não coloque a parafina, pois “suja” remendo e fica complicado para consertar, acabamos tendo que aumentar a área quebrada para limpar e então fazer o remendo na prancha de surf”, explica.

Mas o que fazer então?

Em caso de emergência, aquela situação que não dá pra levar a prancha imediatamente para o conserto e você ainda tem planos de aproveitar as ondas, o mais indicado é um adesivo.

Isto mesmo, um adesivo que tenha uma boa cola, de preferência!

“O que mais indicamos é o adesivo, de preferência um adesivo fino para não correr o risco de soltar na água. Vamos até fazer uns adesivos para dar para nossos clientes usarem na emergência até trazer a prancha para oficina”, revela.

Já existe no mercado um produto que se assemelha ao adesivo, mas não testamos e por isso não poderemos avaliar aqui. Caso alguém já tenha experimentado, nos conte, por favor!

Para os que se julgam talentosos na arte do reparo, há no mercado uma infinidade de produtos com textura de pasta, ou kits com resina no melhor estilo faça você mesmo.

Seja preciso nesses casos, ou senão o que estava ruim pode acabar ficando péssimo.

Nossa #dica, de verdade, é levar a prancha para o conserto com quem entende do assunto.